Archive for janeiro, 2011

Il neige!

Surpreendentemente cedo, a neve surgiu no outono de Grenoble em um bonito, ainda que frio, dia de novembro, e foi neve como poucas vezes se viu para um mês de novembro aqui pelas bandas da margem do Isère.

E como não poderia deixar de ser, em uma cidade universitária com intercambistas de todo o mundo – muitos dos quais nunca viram neve -, a primeira noite de neve foi também uma noite de guerra.

Snow Fiiiiiiiight!

Bolas de neve pra cá e pra lá, gente que nunca se viu na vida jogando bolas de neve uns nos outros e se escondendo, bonecos de neve, anjinhos, desenhos… realmente gastamos algumas horas brincando na neve.

Nosso primeiro boneco de neve a Gre!

Brasileiros marcando presença

E por dias aquela neve fez parte das nossas vidas, porque, ô coisinha lenta de derreter, hein.

Anúncios

Comments (4) »

La ville-lumière

Paris, a cidade-luz!

Como eu comentei no último post, tive uma semana de folga e fui passear em Paris.

Alugamos um carro para a viagem, eu, Leo, Nai, Rafa e Thais. Foi também o Vovó, mas ele teve que pegar o trem, afinal, só cabiam 5 no carro… Reservas feitas no Formule 1 Porte de Montmartre, lá vamos nós.

A caminho de Paris

A primeira impressão da cidade não foi das melhores. Muita sujeira, muito caos no trânsito, uma dificuldade sem tamanho para descobrir onde deveríamos devolver o carro, e próximo do hotel é uma área muito feia mesmo, afinal, é numa região periférica de Paris. Porém, contudo, entretanto, todavia, quanto mais você conhece essa cidade, mais você acaba gostando dela.

Na primeira noite, demos uma voltinha pela cidade a pé mesmo e tivemos uma bela vista da Sacre Coeur, e conhecemos um pouco os arredores dessa basílica, como a Rue des Abbesses, famoso point da noite parisiense – que, naquele particular dia, não tinha muita gente, afinal, era segunda-feira.

Sacre Coeur

No dia seguinte já nos arriscamos no metrô e fomos logo conhecer a famosa, a querida, a fenomenal Torre Eiffel. Após muito tempo de bobeação, tirando fotos pulando, “empurrando” ou “segurando” a torre, plantando bananeira etc., seguimos adiante, conhecendo outros pontos famosos da cidade, como o rio Sena, Sorbonne, o Panthéon, Jardin du Luxembourg, Théâtre de l’Odéon, algumas igrejas pequenas, e, claro, as lojinhas de souvenir. O ponto final da caminhada foi a famosa Notre-Dame de Paris, sim, aquela do corcunda, porém não pudemos entrar pois chegamos pouco depois do fechamento.

Olha mãe, tô voando!

Assim, nos restou ir conhecer a noite parisiense. Por sugestão do Samuel, rumamos ao Hideout, onde tivemos uma noite divertida com chope barato e companhias agradáveis.

No dia seguinte, o Arco! Ah, o Arco! Inúmeras fotos passeando pela Champs-Élysées (por exemplo, na loja-conceito da Peugeot) e em frente ao Arco do Triunfo, para depois subirmos o monumento e, lá de cima, apreciarmos uma bela vista geral da cidade de Paris. Após isto, mais uma voltinha pelo centro histórico de Paris, pela Ponte Alexandre III e sempre apreciando a paisagem enquanto rumávamos para o Louvre.

Foto especial pra Glau

Vista de cima do Arco

O Louvre é gigantesco e fantástico. A própria arquitetura do museu já é uma exposição de arte por si só, e as obras lá expostas refletem milhares de anos de desenvolvimento artístico da humanidade. Ver de perto obras de Delacroix, da Vinci, Rembrandt, Michelangelo, bem como toda a arte mediterrânea e islâmica lá expostas, é uma experiência sem igual.

Bobagens no Louvre

Quinta-feira, dia de efetivamente subirmos à Sacre Coeur, conhecê-la por dentro e termos, lá de cima, outra bela vista da cidade. Dia também de comprar souvenires. Depois, um cafezinho (ok, pra mim um chocolate quente) no Café des 2 moulins, também conhecido como “café da Amélie“. É o local onde a personagem Amélie trabalhava, na conhecida película “O fabuloso destino de Amélie Poulain”, sim, um café que existe de verdade.

Aquela lá no fundo é a Amélie =P

E já que estamos falando de moulins, descemos a rua e nos deparamos com o cabaré Moulin Rouge. Uma olhadinha na tabela de preços, umas fotos, e rumamos para tomar o metrô na direção do Père Lachaise. Um dos mais famosos cemitérios do mundo, é morada de Allan Kardec, Jim Morrison, Eugene Delacroix, Oscar Wilde, Edith Piaf, entre outros.

Túmulo do Jim Morrison, que eu sei que foi o único que vocês ficaram curiosos pra ver

Ainda nesse mesmo dia fomos, enfim, conhecer a Catedral Notre-Dame de Paris. No fim do dia, um pubzinho no Quartier Latin, e cama.

Interior da Notre-Dame

Sexta, nosso último dia de viagem, foi dia de subir a Torre Eiffel. Visão 360º de Paris, um dos locais mais românticos do mundo. Do topo do mundo, para o subsolo: em seguida, uma visita às Catacumbas de Paris.

Em cima da Torre

Uma bruxa nas catacumbas!

Após isso tudo, puxamos o carro e voltamos à nossa pacata vidinha em Grenoble…

Para saber mais sobre Paris, assista o Bienvenue à Grenoble em Paris!

Volto em breve!

Comments (3) »